A PROPOSTA DE CALKINS PARA O ENSINO DA ESCRITA NA ESCOLA: PERCEPÇÃO DE PROFESSORES E ESTUDANTES DO CURSO DE LETRAS

Hérica Paiva PEREIRA, Paula Perin dos SANTOS

Resumo


Esse artigo apresenta a percepção de professores e alunos do Curso de Letras sobre a abordagem metodológica de ensino dos processos que envolvem a produção escrita, bem como a validade de sua aplicação no cotidiano das escolas cearenses. Parte-se de uma breve discussão sobre as questões envolvidas no processo de produção de textos e o tratamento dado ao ensino da escrita em aulas de Língua Portuguesa. À luz dos pressupostos teóricos apresentados por Bakhtin (2006), Meurer (1997), Marcuschi (2008) e Calkins (1989), busca-se refletir sobre os processos metodológicos envolvidos na construção do texto. Apresenta-se a abordagem de Calkins (1989) para o ensino da escrita que, diferentemente do que se presencia em muitas escolas, envolve a escolha do tópico de escrita, preparação do esboço inicial, reescrita, revisão e edição, processos mediatizados pela contribuição do leitor através de conferências de escrita. Além desses processos, incluem-se a fundamental contribuição do professor ao desenvolver em seus alunos a consciência de autor de seus textos como elemento motivador e valorizador do seu dizer, como também o uso de ferramentas tecnológicas, como: editor de textos, corretor ortográfico e dicionário de sinônimos. Percebeu-se que, ao adotar esses parâmetros de ensino, a escrita do aluno revela a expressão da subjetividade e da autoria, propósito almejado para a formação de um escritor proficiente. Os cursistas puderam se descobrir enquanto escritores, sentiram-se motivados não só a aplicar a proposta em suas salas de aula, como também a continuar escrevendo.

PALAVRAS-CHAVE: Cognição. Letramento. Ensino. Escrita.


Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, I. Aula de Português: encontro & interação. São Paulo: Parábola Editorial, 2003.

ALTENFELDER, A. H.; CLARA, Regina Andrade. Se bem me lembro. São Paulo: Cenpec, 2010.

BAKHTIN, M. Marxismo e Filosofia da Linguagem. 12. ed. São Paulo: HUCITEC, 2006.

CALKINS, L. M. A Arte de ensinar a escrever: o desenvolvimento do discurso escrito. Tradução de Deise Batista. Porto Alegre: Artes Médicas, 1989.

KLEIMAN, A. B. Letramento e suas implicações para o ensino de língua materna. Signo, Santa Cruz do Sul, v. 32, n. 53, p.1-25, dez. 2007.

MARCUSCHI, L. A. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

MEURER, J. L. Esboço de um modelo de produção de textos. In: ______; MOTTA-ROTH, D. (Orgs.). Parâmetros de textualização. Santa Maria: Editora UFSM, 1997, pp. 14-28.

SANTOS, P. P.. Memórias literárias: uma proposta de ensino de escrita sob a perspectiva de Calkins. 2015. Dissertação (Mestrado em Letras) – Centro de Formação de Professores, Universidade Federal da Paraíba, Cajazeiras-PB, 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


_________________________________________________________________

PROFLETRAS - CFP - UFCG
Todos os direitos reservados®

Siga-nos nas redes sociais: