A MANIFESTAÇÃO DO DIALOGISMO E DA RESPONSIVIDADE ATIVA NA PRODUÇÃO DE CONTOS FANTÁSTICOS

Léia Luz Gusmão SANTOS, Maria Aparecida Pacheco GUSMÃO

Resumo


Este artigo trata do dialogismo e da responsividade ativa no processo de produção e reescrita de texto e apresenta o resultado parcial da pesquisa desenvolvida no Mestrado Profissional em Letras – Profletras – pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. O estudo foi realizado em uma turma do nono ano do Ensino Fundamental, no município de Cordeiros, Bahia, e visou investigar a manifestação do dialogismo e da atitude responsiva por educandos no processo de produção de narrativa fantástica mediante às intervenções do professor. A pesquisa está fundamenta nos estudos sobre a teoria enunciativo-discursiva da linguagem de Bakhtin (1997, 2014) e alguns dos seus seguidores, a exemplo de Geraldi (1984, 1997), Ruiz (2010) e Menegassi (1998); e nos estudos de Todorov (1980), Rodrigues (1988), Cesarani (2006) e Alazarki (1990) sobre o conto fantástico. A metodologia caracterizou-se como pesquisa qualitativa (BOGDAN; BIKLEN, 1994; LÜDKE; ANDRÉ, 2015) do tipo pesquisa-ação (THIOLLENT, 1986) e desenvolveu-se por meio da aplicação de atividades organizadas, segundo o modelo de sequência didática proposto por Dolz, Noverraz e Schneuwly (2004). Os resultados apontaram que a interação proporcionada durante as atividades resultou em dialogismo e atitude responsiva ativa, manifestados pelos alunos no processo de produção de seus textos. Constatou-se ainda que a atividade de reescrita possibilitou aos educandos a reflexão sobre seu próprio texto e os auxiliou significativamente no aprimoramento de sua escrita.

PALAVRAS-CHAVE: Produção textual. Reescrita. Dialogismo. Responsividade ativa.


Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 2014.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. 2 ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: MEC, 2017. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/portugues.pdf. Acesso em: 20 jan. 2020.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 1998. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br. Acesso em: 23 out. 2018.

BOGDAN, Roberto; BIKLEN, Sari Knopp. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Codex Porto, 1994.

DOLZ, Joaquim; NOVERRAZ, Michele; S CHNEUWLY, Bernard (Colaboradores). Gêneros orais e escritos. Campinas: Mercado das Letras, 2004.

FIAD, Raquel Salek; MAYRINK-SABINSON, Maria Laura T. A escrita como trabalho. In: MARTINS, Maria Helena (Org.). Questões da linguagem. São Paulo: Contexto, 1991.

GERALDI, João Wanderley. Portos de passagem. 4ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

GERALDI, João Wanderley. O texto na sala de aula. São Paulo: Ática, 2011.

FARACO, Carlos Alberto. Linguagem e Diálogo: as ideias linguísticas do círculo de Bakhtin. São Paulo: Parábola, 2009.

FIORIN, Jose Luiz. Introdução ao pensamento de Bakhtin. São Paulo: Ática, 2006

GASPAROTTO, Denise Moreira; MENEGASSI, José Renilson. A mediação do professor na revisão e reescrita de textos de aluno de Ensino Médio. Calidoscópio, São Leopoldo, vol.11, n. 1, jan.-abr. 2013.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli Elisa D. de A. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MENEGASSI, José Renilson. Da Revisão à Reescrita: operações e níveis linguísticos na construção do texto. Tese (Doutorado em Letras) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista. Assis, 1998.

MENEGASSI, José Renilson Aspectos da responsividade na interação verbal. Línguas e letras, Cascavel, vol. 10, n. 18, 1º sem. 2009.

MENEGOLO, Elizabeth Dias; MENEGOLO, Leandro Wallace. O significado da reescrita de textos na escola: a (re) construção do sujeito-autor. Ciências & Cognição, Rio de Janeiro, vol. 4, mar. 2005.

RUIZ, Eliana Donaio. Como se corrige texto na escola. 1. ed. São Paulo: Contexto, 2010.

THIOLLENT, Michel. Metodologia da pesquisa-ação. 14ª ed. São Paulo: Cortez, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


_________________________________________________________________

PROFLETRAS - CFP - UFCG
Todos os direitos reservados®

Siga-nos nas redes sociais: