A Esquizoanálise como prática na clínica contemporânea Uma proposta para compreensão das patologias psicoafetivas

Marcus Alexandre de Pádua Cavalcanti Bastos, Eliane Cristina Tenório Cavalcanti

Resumo


O presente estudo tem como objetivo propor novas possibilidades de intervenção na pratica da Clínica Contemporânea no que diz respeito às patologias psicoafetivas.  Para isso, nos apoiaremos na corrente teórica da Esquizoanálise. Essa vertente  psicanalítica surgiu nos anos 70 por meio da associação  do filósofo Gilles Deleuze e do psicanalista Félix Guattari. A esquizoanálise é um conhecimento amplo que vem influenciando muito as correntes de análise institucional e clínica contemporânea no Brasil. Essa perspectiva permite questionar tanto a psicanálise freudiana - circunscrita ao modelo edipiano - como a lacaniana de matriz estruturalista. O uso transcendente proposto tanto por Freud como por Lacan seriam as bases de organização e estruturação do desejo. Dessa forma, todos os conflitos psicoafetivos deveriam ser enquadrados nesses modelos dados aprioristicamente para que obtivessem solução. A proposta esquizoanalítica se difere em termos absolutos aos modelos propostos por Freud e Lacan considerando-os como sistemas reducionistas e homogeneizantes do desejo. A proposta da Clínica esquizoanalitica questiona tanto a perspectiva estruturalista lacaniana como o modelo freudiano calcado na representação do teatro familiar, principalmente pelo fato de ambos os modelos buscarem através de princípios universais a solução de todos os problemas afetivos, não considerando a multiplicidade de objetos singulares, heterogêneos uns aos outros, que se articulam em constelações funcionais não redutíveis a complexos universais.

 

 


Texto completo:

PDF

Referências


DELEUZE, G; GUATTARI, F. Conversações. Rio de Janeiro: Editora 34, 1992.

______. Espinosa: Filosofia Prática. São Paulo: Escuta, 2002.

______. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro: Editora 34, 1995 ______. O Anti Édipo. Rio de Janeiro: Imago, 1976.

ESPINOSA, Baruch de. Ética. 3. ed. São Paulo: Abril Cultural, 2009.

FREUD, S. Além do princípio do prazer. Imago, 1996. Edição Standard Brasileira.

______. O mal-estar na civilização. Rio de Janeiro: Imago, 1996. Edição Standard Brasileira.

GUTTARI, E; ROLNIK, S. MicropoIítica: cartografias do desejo. Petrópolis: Vozes, 1986.

GUATTARI, F. Psicanálise e transversalidade: ensaios de análise institucional. Aparecida, SP: Idéias & Letras, 2004.

______.O inconsciente maquínico: ensaios de esquizoanálise. Campinas, SP: Papirus, 1988




DOI: http://dx.doi.org/10.24219/rpi.v2i2.0.186

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


_________________________________________________
Revista de Pesquisa Interdisciplinar
(ISSN 2526-3560)

Revista de Pesquisa Interdisciplinar, Rua Sérgio Moreira de Figueiredo s/n - Casas Populares - Tel.: (83)3532-2000 - CEP 58900-000 - Cajazeiras-PB