Autoria tecnocientífica no Ensino Fundamental: a investigação-ação-participativa no ensino de ciências

Roberth De-Carvalho, Igor Augusto Garcia

Resumo


Processos pedagógicos profissionais (p.p.p.) organizam ambientes metodológicos em plena dialogicidade entre componentes pessoais (estudantes e demais sujeitos escolares ou não) e não-pessoais (direcionamentos pedagógicos). Em um ambiente de Ensino Fundamental, mediamos a construção de autoria tecnocientífica de um grupo de estudantes do 9º ano da rede pública de Florianópolis, Santa Catarina. Esse processo se deu em torno do trabalho editorial para uma revista de divulgação científica com conteúdos de Física, no qual ressaltaram uma identidade coletiva na formação de discursos de ciência-tecnologia-sociedade (CTS). Pela metodologia de investigação-ação-participativa (IAP), na perspectiva colombiana de Fals Borda (1925-2008), avaliamos uma sinergia entre diálogos de saberes locais e científicos daqueles/as estudantes. Pressupostos pedagógicos decoloniais afirmaram um sistema de linguagens e discursos para uma educação em ciências de natureza libertadora e autoral.

Palavras chave: autoria tecnocientífica, sentido coletivo, discurso CTS, investigação-ação-participativa


Texto completo:

PDF

Referências


Akotirene C. (2019) Interseccionalidade. Feminismos plurais; coord. Djamila Ribeiro. São Paulo: Sueli Carneiro; Pólen. 152 p.

Auler D. (2007) Enfoque Ciência-Tecnologia-Sociedade: pressupostos para o contexto brasileiro. Ciência e Ensino, 1(número especial): 1–20.

Auler D. & Delizoicov D. (2006) Educação CTS: Articulação entre pressupostos do educador brasileiro Paulo Freire e referenciais ligados ao movimento CTS. Anais do Encontro Iberoamericano Sobre las Relaciones CTS en la Educación Científica. Volume 5. Málaga: Editora da Universidade de Málaga.

Auler D., Strieder R.B., Delizoicov N.C. & Delizoicov D. (2005) Compreensões de alunos da Educação Básica sobre interações entre CTS. Atas do Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Volume 5. Bauru: ABRAPEC.

Busko P.S. & De-Carvalho R. (2019) Produção autoral de tecnologias sociais por investigação-ação-participação no ensino de ciências. Revista de Educação, Ciência e Tecnologia, Canoas, 8(1): 1–23. https://doi.org/10.35819/tear.v8.n1.a3321

Cassiani S. & Von Linsingen I. (2010) Educação CTS em perspectiva discursiva: contribuições dos Estudos Sociais da Ciência e da Tecnologia. Redes, 16(31): 163–182.

Cassiani S., Giraldi P.M. & Von Linsingen I. (2012) É possível propor a formação de leitores nas disciplinas de Ciências Naturais?: contribuições da análise de discurso para a Educação em Ciências. Educação: Teoria e Prática, 22(40): 43–61.

Correa L.F. & Bazzo W.A. (2017) Contribuições da abordagem Ciência, Tecnologia e Sociedade para a humanização do Trabalho Docente. Contexto & Educação, 32(102): 57–80. https://doi.org/10.21527/2179-1309.2017.102.57-80

Dagnino R. (2019) Tecnociência solidária: um manual estratégico. Marília: Lutas Anticapital. 161 p.

De-Carvalho R. (2019) Sentidos de 'ano-luz' textualizados em linguagem artística (p. 177–209). In: Silva H.C. (Org.). Ciências, seus textos e linguagens: ensaios sobre circulação e textualização de conhecimentos científicos e matemáticos. Curitiba: CRV. 266 p.

Fals Borda O. (2015) Una sociología sentipensante para América Latina. Antología y presentación de Víctor Manuel Moncayo. México, D.F.: Siglo XX; Buenos Aires: CLACSO. 492 p.

Freire P. (1996) Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 13° edição. Coleção leitura. São Paulo: Paz e Terra. 165 p.

Freire P. (2013) Extensão ou comunicação? Trad. de Rosisca Darcy de Oliveira. Recurso digital [e-pub]. Rio de Janeiro: Paz e Terra. 91 p.

Freitas L.C. (2014) Os reformadores empresariais da educação e a disputa pelo controle do processo pedagógico na escola. Educação & Sociedade, 35(129): 1085–1114. https://doi.org/10.1590/ES0101-73302014143817

Freire P. (2017) Pedagogia do Oprimido. 63° edição. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra. 253 p.

Galieta T. & Von Linsingen I. (2019) Educação CTS e temáticas socioambientais: mapeamento dos trabalhos da X e XI jornadas ESOCITE. Anais do Encontro Regional de Ensino de Biologia – RJ/ES. Rio de Janeiro: Colégio de Aplicação/UFRJ.

Giraldi P.M. (2010) Leitura e escrita no ensino de ciências: espaços para produção de autoria. Tese (Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica). Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Físicas e Matemáticas, Centro de Ciências Biológicas, Florianópolis, Santa Catarina.

Jacinski E., Von Linsingen I. & Corrêa R.F. (2019) Cidadania sociotécnica, tecnologia social e educação CTS (p. 193–207). In: Cassiani S. & Von Linsingen I. (Orgs). Resistir, (re)existir e (re)inventar a educação científica e tecnológica. Recurso digital [E-book]. Florianópolis: UFSC/CED/NUP. 401 p.

Maldonado-Torres N. (2008) A topologia do Ser e a geopolítica do conhecimento. modernidade, império e colonialidade. Revista Crítica de Ciências Sociais, 80: 71–114. https://doi.org/10.4000/rccs.695

Mato D. (2014) No 'estudiar al subalterno', sino estudiar con grupos sociales 'subalternos' o, al menos, estudiar articulaciones hegemónicas de poder. Desafíos, 26(1): 237–264. https://doi.org/10.12804/desafios26.1.2014

Mota Neto J.C. (2018) Por uma pedagogia decolonial na América Latina: convergências entre a educação popular e a investigação-ação participativa. Arquivos Analíticos de Políticas Educativas, 26(84): 1–17. http://dx.doi.org/10.14507/epaa.26.3424

Oliveira M.C.D. & Von Linsingen I. (2019) Reflexões acerca da Educação CTS Latino-americana a partir das discussões do grupo de pesquisa DiCiTE da UFSC (p. 177–191). In: Cassiani S. & Von Linsingen I. (Orgs). Resistir, (re)existir e (re)inventar a educação científica e tecnológica. Recurso digital [E-book]. Florianópolis: UFSC/CED/NUP. 401 p.

Orlandi E.P. (2012) Divulgação científica e efeito leitor: uma política social urbana (p. 149–162). In: Orlandi E.P. (Ed.) Discurso e texto: formulação e circulação dos sentidos. 4° edição. Campinas, SP: Pontes. 218 p.

Quijano A. (2005) Colonialidade do poder, Eurocentrismo e América Latina (p. 117–142). In: Lander E. (Org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais: perspectivas latinoamericanas. Buenos Aires: Colección Sur Sur, CLACSO. 130 p.

Rodrigues V.A.B., Von Linsingen I. & Cassiani S. (2019) Formação cidadã na educação científica e tecnológica: olhares críticos e decoloniais para as abordagens CTS. Revista Educação e Fronteiras On-Line, 9(25): 71–91. https://doi.org/10.30612/eduf.v9i25.11012

Schwan G. & Santos R.A. (2020) Dimensionamentos curriculares de enfoque CTS no ensino de ciências na educação básica. Revista de Estudos e Pesquisas sobre Ensino Tecnológico, 6: 1–14. https://doi.org/10.31417/educitec.v6i.981

Silva H.C. (2006) O que é divulgação científica? Ciência & Ensino, 1(1): 53–59.

Silva H.C. (2019) A noção de textualização do conhecimento científico: veredas pelos Estudos da Ciência, conexões pela Educação em Ciências (p. 15–34). In: Silva H.C. (Org.). Ciências, seus textos e linguagens: ensaios sobre circulação e textualização de conhecimento científicos e matemáticos. Curitiba: CRV. 266 p.

Silveira J.C., Cassiani S. & Von Linsingen I. (2018) Escrita e autoria em texto de iniciação científica no ensino fundamental: uma outra relação com o saber é possível? Ciência e Educação, 24: 9–25. https://doi.org/10.1590/1516-731320180010002

Von Linsingen I. (2007) Perspectiva educacional CTS: aspectos de um campo em consolidação na América Latina. Ciência & Ensino, 1(número especial): 1–19.




DOI: http://dx.doi.org/10.29215/pecen.v4i0.1587

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Autor e Revista mantêm os direitos da publicação

____________________________________________
Pesquisa e Ensino em Ciências Exatas e da Natureza
Unidade Acadêmica de Ciências Exatas e da Natureza - CFP - UFCG
Cajazeiras - PB, Brasil
(ISSN 2526-8236)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

INDEX COPERNICUS INTERNACIONAL

 

ICI WORLD OF JOURNALS